Verstappen, the flying dutch, em dia memorável!

Se a justificativa da chegada de Verstappen à equipe RBR foi controversa, os fins justificaram os meios. O Holandês, de apenas 18 anos conseguiu o maior dos resultados possíveis em sua estreia pela equipe austríaca: vencer o grande prêmio de Barcelona. Com tal feito, Max estabeleceu novo recorde ao tornar-se o piloto mais jovem a vencer uma corrida de F1.

Tal resultado era improvável e o próprio Verstappen pretendia apenas um pódio. Além da Mercedes ocupar a primeira fila, Max ainda tinha Daniel Ricciardo à sua frente. E Na sequência, os pilotos da Ferrari em busca de bons resultados para aliviar a pressão interna imposta por Marchionne. Se na teoria a probabilidade era mínima, na prática todas as combinações aconteceram para que a estrela de Verstappen pudesse brilhar.

Gosto da champagne na F1.

Gosto da champagne na F1.

O incidente entre Hamilton e Rosberg (que será analisado oportunamente) foi só o primeiro dos acontecimentos que possibilitaram a primeira vitória de Verstappen. Depois disso, Ricciardo e Vettel duelaram, em vão, pois no fim a disputa era apenas pelo terceiro lugar, já que as estratégias adotadas mostraram-se equivocadas. Some-se isso a a um circuito de poucos pontos de ultrapassagem.

Ao assumir a ponta, Max administrou bem o consumo de pneus e resistiu aos ataques não tão incisivos de Kimi Raikkonen… No fim do dia, Verstappen foi o grande vencedor. Ocupou o lugar mais alto do pódio. Parabéns!!!

A nós só resta contemplar esse que foi um grande feito. Agora a contagem é para a segunda vitória. Será que ainda vem nesta temporada?!

Improvável… Assim como a de hoje…

15/05/16.

Anúncios

2 comentários

  1. GP maluco esse! Hamilton em dia de Verstappen, e Verstappen em dia de Hamilton.

    Parece-me que o garoto se tocou (por si mesmo ou aconselhado) que este era o seu grande cavalo selado, e que deveria parar com as barbeiragens, faniquitos e choradeiras, e se portar como um adulto, como um piloto vencedor. E ele o fez. E calou minha boca. Grande vitória!

    Mas é preciso apresentar sequencia, equilíbrio, constância. Porque fatores excepcionais também já permitiram vitórias de Panis, Herbert e Maldonado, entre outros, até aí nada demais. Hoje talvez o Kvyat também houvesse ganho.

    Porém, uma coisa é certa: essa nova Holding tem tudo pra ser um grande sucesso. Dos seis carros da Ferrari no grid apenas Ricciardo não chegou entre os seis primeiros, isso pq teve um pneu furado.

    No mais, boas brigas na meiúca entre HAAS, Renault e Williams. E a Ron Denis Racing decepcionando como sempre.

    E o Luisínho, hein? Foi sol na vista ou diarreia mental mesmo?

    Grande abraço

  2. Fala, Attila!!!

    Isso passou pela minha cabeça. Poderia ter sido Kvyat. Mas nunca saberemos. Max teve a oportunidade e guiou como um piloto veterano. Por sua vez, o verdadeiro veterano (Raikkonen) foi incapaz de tentar um ataque real.

    De onde você tirou que a RBR é do grupo Ferrari? Desconheço a informação. Ou foi apenas uma ironia pelos últimos acontecimentos?

    Verstappen é novo, mas já parece ser bem melhor do que os medianos citados. Porém esse clima de “oba-oba” não me agrada.

    Uma pena a Mercedes não ter concorrência. Rosberg jogou muito duro, mas veríamos muitas manobras semelhantes de Lewis…

    Grande Abraço!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s