Mês: maio 2014

Newey diz que não sai da Red Bull e Alonso se mostra insatisfeito com clima na Ferrari.

Após apresentar resultados de pouca expressão no GP da Espanha, o antigo rumor de que a Ferrari contrataria Adrian Newey voltou a ser ventilado no paddock. Além do real interesse da escuderia italiana, quando questionado, o projetista foi vago em suas respostas, dando margem às especulações:

Eu não sei. Eu preciso pensar sobre isso. Estamos no meio da temporada e ainda estou me adaptando a ela. Alguma hora eu terei de pensar no futuro, mas no momento meu foco é ficar à frente do carro prateado (Mercedes)”

Uma das principais mudanças no time de Maranello foi a do cargo de chefe de equipe. Stefano Domenicali deu lugar a Marco Mattiaci e Montezemolo prometeu mais alterações. Ocorre que, em Monaco, Newey mudou o tom do discurso e afirmou que está comprometido com a Red Bull por tempo indeterminado, descartando uma possível mudança de ares.

Newey de saída?

Newey de saída?

Sebastian Vettel também não acredita na saída do britânico, entretanto não pareceu muito confiante em sua resposta, mostrando certo desconforto diante da imprensa, dizendo, ainda, que o sucesso da Red Bull nas últimas temporadas se deve a toda equipe:

“Vocês precisam entender que Adrian é uma das pessoas-chave na equipe, mas há também aqueles que estão trabalhando muito, então nem sempre é justo dar crédito apenas a um homem. Tenho certeza que ele vai lhe dizer isso, quando fizer o mesmo tipo de pergunta… O quanto é verdade (saída da Red Bull) talvez descobriremos ou não. Isso não me interessa muito no momento”

Indubitavelmente, a chegada de Adrian Newey acalmaria os ânimos da escuderia italiana, pois os últimos comentários do bicampeão Fernando Alonso mostraram que o ambiente interno da Ferrari não é dos melhores. O asturiano deu a entender que não tem recebido o devido apoio dos “amigos”, apesar de ter seu trabalho reconhecido por quem não tem tanta proximidade, a exemplo de Dieter Zetsche, presidente da Mercedes:

“Alonso é provavelmente o melhor piloto do grid. Fernando sempre provou isso e em carros não competitivos.”

O bicampeão também foi enaltecido pelo chefe da equipe alemã, Toto Wolff, ao afirmar que o espanhol é um “monstro” nas corridas. Mesmo estando satisfeito com os comentários feitos pela cúpula da Mercedes, Alonso acha estranho não receber o mesmo suporte de quem mais se espera:

“É sempre bem-vindo quando as pessoas vêem seu trabalho de uma boa forma e respeita aquilo que você tenta conquistar. Às vezes é estranho ver bons comentários e elogios de pessoas de fora e o oposto daqueles que deveriam estar ao seu lado. É motivador ver bons comentários e engraçado ouvir o contrário de seus amigos mais próximos.”

Alonso e Montezemolo. Ânimos acirrados?

Alonso e Montezemolo. Ânimos acirrados?

Ao saber das declarações, Luca di Montezemolo apressou-se e emitiu um comunicado oficial em apoio ao seu primeiro piloto:

“Fernando é o melhor piloto do mundo, que sempre dá duzentos por cento nas corridas. Ele sabe o quanto confio nele, mesmo longe das pistas, em termos de contribuição e pelo impulso que ele dá à equipe. É incrível como alguns, tidos como experts, não entendem isso e estão sempre procurando situações polêmicas que simplesmente não existem.”

O italiano lembrou que possui outro piloto incrível, Kimi Raikkonen, e espera que Mattiaci promova as mudanças necessárias, tando organizacionais, como de ordem técnica, o mais rápido possível.

A suposta chegada de Adrian Newey à Ferrari não seria sinônimo de sucesso imediato para o espanhol. Além de ter de se adequar à nova equipe, como bem mencionado por Vettel, o sucesso da RBR deve-se, também, aos comandados pelo projetista britânico.

A reestruturação da Ferrari, embora tardia, promete, ainda que de médio a longo prazo, render frutos. Para quem não se recorda, o heptacampeão Michael Schumacher chegou à equipe de Maranello em 1996, mas logrou seu primeiro título apenas em 2000, portanto em sua quinta temporada pela Ferrari. E, naquela ocasião, faziam parte da equipe, por exemplo, ninguém menos que Jean Todt e Ross Brawn. Esse último, constantemente, relacionado a um possível retorno.

A competência de Alonso é inquestionável. Mesmo sem contar com o melhor carro do grid, nas temporadas de 2010 e 2012, levou a disputa do título para a última corrida. Seu contrato com a Ferrari vai até 2016, porém há quem afirme a existência de cláusula que possibilita o rompimento do vínculo, caso a equipe não lhe forneça um carro capaz de lutar pelo campeonato.

Se a permanência na Ferrari não dá ao espanhol certeza de sucesso, a sua saída menos ainda. Fernando Alonso está prestes a completar 33 anos. A idade já começa a ser um fator determinante na tomada de suas decisões.

24/05/14.

Anúncios

Ricciardo sente que ganhou o respeito da equipe, mas apenas Vettel recebe o chassi novo.

Antes do início da temporada, o duelo interno que gerava mais expectativa era o da dupla da Ferrari (Alonso x Raikkonen). Entretanto, o que vem chamando mais atenção do público é a disputa entre os pilotos da equipe austríaca RBR.

O novo companheiro do tetracampeão Sebastian Vettel não lhe tem proporcionado uma vida das mais fáceis. Nas duas últimas corridas o alemão foi superado por Ricciardo, tendo, inclusive, recebido ordens de equipe para ceder a posição. No Bahrein, Vettel, nitidamente, tinha problemas em seu monoposto, entretanto, no GP da China, o australiano conseguiu extrair melhor desempenho do carro.

Questionado pela revista inglesa Autosport se a percepção da RBR em relação a ele havia mudado, Ricciardo respondeu positivamente e que a equipe agora o ouvia em relação ao ajuste e desenvolvimento do carro:

“Acho que sim. Não estou dizendo que eles não acreditavam em mim, mas agora eu obtive alguns bons resultados que me deram confiança, isso tornou meu feedback bem mais preciso e creio que eles têm mais razão para confiar. A equipe começou a girar em torno de nós dois.”

Apesar de, aparentemente, ter desbancado Vettel neste início, Ricciardo ainda se encontra atrás do companheiro de equipe no campeonato. O australiano soma 24 pontos, enquanto o tetracampeão, 33. Essa bem poderia ser a justificativa para que a RBR disponibilize um chassi novo apenas para o tetracampeão.

Ricciardo comemora o terceiro lugar no grid no GP da Espanha.

Ricciardo comemora o terceiro lugar no grid no GP da Espanha.

Ocorre que, no momento de informar ao público, houve certa divergência entre o discurso da equipe e o piloto escolhido para recebê-lo. O chefe de design, Rob Marshall, afirmou que a mudança já era algo previsto:

“Sebastian terá um novo chassi em Barcelona, o que estava programado desde o início da temporada e, então, o próximo será para Dan (Ricciardo), a qualquer momento, perto do GP de Silverstone.”

Quando perguntado se a mudança seria para beneficiar Vettel, Marshall disse que não deveria ser, já que todos são iguais.

Já a conversa do tetracampeão foi um tanto quanto diferente. Segundo ele, a decisão ocorreu após o fraquíssimo desempenho mostrado no GP da China, para que todos os problemas que o carro apresentou fossem investigados:

“Acho que decidimos que trocaríamos o chassi após o GP da China, onde estávamos muito atrás. Não é um novo. É um antigo que usamos nos testes de inverno e tivemos alguma experiência com ele. É apenas para tentar tudo o que for possível. Não é anormal trocar um chassi. Decidimos mudar para um antigo somente para ter certeza de que não há nada de errado”

“Todos nós temos um próprio estilo de como gostamos de pilotar e de ajustar o carro. No geral, eu não me importo com saídas de traseira, mas quando é demais, isso começa a incomodar e o carro escorrega muito. Você se vê mais corrigindo do que acelerando e tirando o máximo. Isso te deixa lento. É só uma parte dos problemas. Seria bom ter um problema e uma solução imediata, mas é mais complexo esse ano, há mais fatores do que o ajuste (set-up) do carro.”

E a vida não continua nada tranquila para o alemão. Além de ter dado apenas quatro voltas nos treinos livres de Barcelona, o tetracampeão apresentou problemas no câmbio, abandonou durante a disputa do Q3 e largará na décima posição. Teve que ver, ainda, Daniel Ricciardo conseguir um terceiro lugar, atrás apenas dos pilotos da Mercedes, mesmo sem ter recebido a atenção que lhe foi dedicada nesse fim de semana.

Conjunto campeão das quatro últimas temporadas.

Conjunto campeão das quatro últimas temporadas.

Sebastian ganhou as últimas quatro temporadas. Mas sempre havia certa dúvida acerca de até onde iria seu talento e a importância do carro, ou seja, da equipe comandada pelo projetista Adrian Newey,  mesmo porque há um consenso de que, com um carro vencedor, boa parte dos pilotos que estão na categoria teria condições de ser campeão.

Pela primeira vez estamos presenciando o alemão dirigindo um carro que não apresenta na pista o comportamento desejado. Ainda é cedo para julgar, mas já há na imprensa quem esteja questionando o talento de Vettel.

A parte europeia da temporada está apenas começando. Não podemos colocar em xeque, tão rapidamente, o trabalho vencedor demonstrado nas temporadas recentes.

Aguardemos o fim do campeonato para que não tomemos conclusões precipitadas.

Confira o grid de largada para o GP da Espanha:

Piloto Carro Equipe Q1 Q2 Q3
1 Lewis Hamilton 44 Mercedes 1:27.238 1:26.210 1:25.232
2 Nico Rosberg 6 Mercedes 1:26.764 1:26.088 1:25.400
3 Daniel Ricciardo 3 Red Bull 1:28.053 1:26.613 1:26.285
4 Valtteri Bottas 77 Williams 1:28.198 1:27.563 1:26.632
5 Romain Grosjean 8 Lotus 1:28.472 1:27.258 1:26.960
6 Kimi Raikkonen 7 Ferrari 1:28.308 1:27.335 1:27.104
7 Fernando Alonso 14 Ferrari 1:28.329 1:27.602 1:27.140
8 Jenson Button 22 McLaren 1:28.279 1:27.570 1:27.335
9 Felipe Massa 19 Williams 1:28.061 1:27.016 1:27.402
10 Sebastian Vettel 1 Red Bull 1:27.958 1:27.052
11 Nico Hulkenberg 27 Force India 1:28.155 1:27.685
12 Sergio Perez 11 Force India 1:28.469 1:28.002
13 Daniil Kvyat 26 Toro Rosso 1:28.074 1:28.039
14 Esteban Gutierrez 21 Sauber 1:28.374 1:28.280
15 Kevin Magnussen 20 McLaren 1:28.389
16 Jean-Eric Vergne 25 Toro Rosso 1:28.194
17 Adrian Sutil 99 Sauber 1:28.563
18 Max Chilton 4 Marussia 1:29.586
19 Jules Bianchi 17 Marussia 1:30.177
20 Marcus Ericsson 9 Caterham 1:30.312
21 Kamui Kobayashi 10 Caterham 1:30.375
22 Pastor Maldonado 13 Lotus