As vantagens da dupla Vettel e Raikkonen.

Já estamos diante da terceira etapa do campeonato: o GP da China. Pela terceira vez consecutiva, teremos que madrugar para assistir à corrida. E há muita expectativa em torno dela por conta do resultado surpreendente da Ferrari na Malásia.

Se houve erro de estratégia da Mercedes ou não, pouco importa. Em apenas sua segunda corrida, Vettel conseguiu sua primeira vitória pela escuderia italiana. É a realização de um sonho e mostra o quão afortunado é o alemão. Depois de uma temporada para esquecer em 2014, o tetracampeão vence pela equipe em que seu ídolo e compatriota, Michael Schumacher, marcou época.

Por sua vez, seu companheiro Raikkonen conseguiu um quarto lugar, mesmo tendo passado por vários percalços. O finlandês, que também não teve uma temporada fácil no último ano, parece sentir-se confortável guiando o atual carro. Na Malásia, foram dois grandes resultados, os quais mostram quanto o SF15-T foi muito bem concebido pelo competente James Alisson. E isso não é uma “mera coincidência”.

O "nº 1" realmente está de volta?

O “nº 1” realmente está de volta?

Para quem não se lembra, Kimi, que havia deixado a categoria no fim de 2009 para disputar rally, retornou em 2012 como piloto da Lotus. Na sua volta, o campeão de 2007 apresentou performances notáveis para quem estava longe da F1. Naquele ano, Raikkonen ficou em terceiro lugar no mundial, tendo somado um total de 207 pontos.

E quem era o responsável pelo carro da Lotus? O mesmo James Alisson!

O SF15-T mostrou-se bem mais estável que seu antecessor e, como visto em Sepang, causa pouco desgaste nos pneus, o que possibilitou a estratégia de uma parada a menos do que a Mercedes naquela corrida. Tais características casam-se perfeitamente com os estilos semelhantes de pilotagem de Vettel e Raikkonen, algo que talvez não seja visto nas outras duplas do grid.

Amizade na Fórmula 1.

Amizade na Fórmula 1.

Some-se isso ao fato de que os pilotos da Ferrari possuem um ótimo relacionamento. Consideram-se amigos, algo incomum no meio. Veja-se o exemplo de Hamilton e Rosberg, que praticamente cresceram juntos, mas se desentenderam ano passado. Embora os pilotos da Ferrari ainda não tenham passado por um teste semelhante, particularmente não creio que o nível de desgaste chegaria àquele ponto.

A título de curiosidade, em 2013, numa rápida e até certo ponto curiosa entrevista, o finlandês, que provavelmente é o piloto mais reservado do grid, classificou Alonso e Hamilton como “pilotos” e chamou Schumacher como “velhote”, porém, quando perguntado acerca do alemão, definiu-o como “amigo”. Para quem ainda não assistiu, segue abaixo o vídeo:

Ao que tudo indica, a Mercedes ainda continua com certa vantagem em relação às demais equipes. Entretanto, uma vez que o carro da Ferrari mostrou-se competitivo, um programa de desenvolvimento bem direcionado pode fazer com que a escuderia de Maranello brigue efetivamente pelo título. A dupla – e não apenas um piloto – seria beneficiada com as inovações trazidas ao longo da temporada.

Com a vantagem de ter ambos andando próximos, consegue-se algo fundamental na disputa dos dois campeonatos (construtores e pilotos). Um companheiro de equipe forte torna-se grande aliado ao tirar pontos dos verdadeiros rivais. Algo que não foi visto nestes últimos anos na equipe italiana…

11/04/15.

Anúncios

9 comentários

  1. Sem duvida após ler o post repensei e realmente Vettel e Raikkonen é a dupla mais forte do momento em todos os aspectos. Eles se dão muito bem e mesmo que ocorra uma briga interna entre eles por titulo não acho que isso desestabilizaria o time. Vettel e Raikkonen sabem lhe dar muito bem com as pessoas e acho que isso faz e muito a diferença. Você não precisa ser “amigo” de todos, apenas seja você mesmo sem se importar com o que os outros pensam, o importa é se sentir bem e estar feliz e isso me parece evidente nos dois, mesmo o Raikkonen sendo o “homem de gelo”, é o jeito dele e ele se sente bem assim.

  2. Olá! Parabéns pela vitória no GP passado.

    Eu acho que a ferrari deu um grande salto, não só de qualidade do carro, mas de ambiente.
    Sem dúvida o Riva e o Magrão deram um ar muito mais simpático ao team dos Capos.
    A arrogância continua a mesma, porém agora com uma roupagem muito mais palatável.

    Quanto aos pilotos, é muito bom ver o Vettel animado novamente, como nos primeiros anos de RedBull. A ferrari fez muito bem a ele, e vice e versa.

    Já ao galã, eu agradeço você ter compartilhado este vídeo. Quanto tempo não via o Kimi falar! O que escuto agora são só meros grunhidos. Inglês por um finlandês de má vontade. Dar entrevistas faz parte do salário, amigo! …

    Com o Roseberg recebendo fogo amigo,e caindo de rendimento, o mundial de construtores é uma meta real para a ferrari. Acho que a ferrari está bem de carro, de pilotos e de muro. Só faltam detalhes para alcançar as AMGs. Eu votei na dupla do meu time, mas a dupla da ferrari é fantástica também.

    Mas acho que em 2015, o que eles querem mesmo é ganhar em Monza, com Il Avocati chegando de helicóptero, a tiffosi em delírio, o hino em uníssono…

    Legal esse reconhecimento ao pessoal que fez um belo trabalho nas Lotus/Rebellion.
    Foram belos trabalhos mesmo. Pena que o Allison está brilhando e o Boullier me é só decepção.Bom pra ferrari. Sua torcida é linda!

    off topic: a Marussia está fazendo tempos de GP2. Isso não se configura violação do regulamento? Estaria o Sr. Bernie pensando numa LeMans sem paralamas? Acho muito perigoso isso.

    Abraço!

    1. Rival mais difícil? A Lotus.

      Hahaha Esse Kimi é hilário! Eu gosto dele.

      Lembro dele saindo do autódromo meia hora depois de abandonar num GP.

      Ele é o último sopro de esperança de uma entrevista interessante, duma postura diferente, algo que não vemos mais.

      E se a meninas acham um charme seu desdém e ar blasé, eu acho um saco, porque histórias interessantes são feitas por personagens interessantes, e ele pode contribuir mais.

      Abraço

    2. Sem dúvida… E Rosberg já fez a primeira reclamação pública sobre seu staff… O alemão acredita que pode vencer amanhã devido à degradação dos pneus… De fato, o inglês de Raikkonen dá agonia aos ouvidos…
      Abração, Attila…

  3. Cara, essa temporada parece caminhar para mais um domínio total das Mercedes, o que infelizmente torna a F1 chata pra caralho, onde você não vê competição. A FIA tem que mudar o regulamento, fazer com que haja competitividade entre as equipes e pilotos, senão será apenas mais do mesmo durante toda a temporada!

    1. Verdade, Rafael. Todos queremos mais competição. A FIA certamente fará algo. Entretanto será mais interessante se a competitividade surgir através da competência das equipes rivais. A Ferrari deu um grande passo esse ano. Que as demais deem outros ainda maiores.
      Apareça sempre! Abraço!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s