Caso Alonso: Não há interesse em divulgar a verdade.

Embora os testes de pré-temporada tenham acabado e inclusive um breve resumo acerca desse tema tenha sido publicado neste blog, um assunto tem causado bastante intriga: o acidente de Fernando Alonso! Tratado pela McLaren como algo banal, mas que foi capaz de tirar o espanhol da primeira etapa do campeonato.

Vamos ao assunto!

A falta de transparência na F1 não é novidade. Pelo contrário, talvez possamos classificá-la como regra. Não sou grande fã de teorias da conspiração, mas a forma como a FIA trata as polêmicas que acontecem na categoria acaba alimentando-as. É por esta razão que inúmeras teorias “infundadas” sempre são debatidas.

Vou dar um exemplo “caseiro”: não há quem tire da cabeça de meu querido pai que, em 2007, Lewis Hamilton não cometeu erro em Interlagos. Segundo ele, aquela saída da pista teria sido ordem da FIA, já que a McLaren tinha sido excluída do campeonato de construtores, como consequência do spygate. Garanto que há muitos fãs do inglês quem pensam da mesma forma.

Não é preciso voltar muito no tempo para que lembremos de outro caso: o acidente de Jules Bianchi. Disseram primeiro que as lesões foram causadas pela desaceleração, sem levar em conta que choque contra aquela grua tornou o impacto muito pior. Após, concluíram afirmando que a culpa teria sido do próprio piloto, pois andou mais rápido do que deveria naquelas condições… Enfim…

O mais recente exemplo de como as coisas na Fórmula 1 são nebulosas foi o acidente de Fernando Alonso. Nestes episódios, como geralmente acontece, além da FIA, a equipe envolvida costuma esquivar-se. Não foi diferente com a McLaren. Segundo os boletins médicos, Alonso foi diagnosticado com uma concussão, mas incrivelmente até isso Ron Dennis negou.

Não é a primeira vez que o bicampeão sofre um acidente grave. No GP do Brasil, em 2003, o espanhol chocou-se de forma violenta contra o muro e teve muita sorte de não ter sofrido maiores consequências. Apesar de não haver vídeo disponível do que aconteceu em Barcelona, presume-se, a partir dos danos no carro, que o do Brasil foi muito mais impactante:

Mal súbito, ventos fortes, descarga elétrica etc… Essas foram algumas das teorias levantadas no paddock, tudo isso por conta da falta de clareza e, por que não dizer, da falta de respeito aos fãs. Ninguém entende o que se passa, nem por qual motivo um assunto aparentemente simples não é tratado de forma aberta com o público.

Para completar o cenário, até a testemunha ocular, Sebastian Vettel, disse que Alonso estava relativamente lento e o acidente tinha sido estranho. Depois que Alonso teve que permanecer por três dias em um hospital, o alemão “esclareceu” sua fala e afirmou que estava muito distante para julgar o que tinha acontecido.

Apesar de não esclarecer totalmente o que deu causa ao acidente, foi disponibilizada uma simulação bem interessante de como ele pode ter acontecido. Caso ainda não tenha visto, segue o link abaixo:

Não há dúvida! Há um esforço muito grande para esconder a verdade dos fatos. Inclusive boa parte da imprensa mundial, principalmente a inglesa, que num primeiro momento pareceu intrigada com o acidente, rapidamente se deu por satisfeita com os boletins médicos…

Mas afinal, o que houve? Não tenho a mínima ideia! Especular não é o meu forte. Ainda aguardo uma nova versão oficial e convincente. Enquanto isso, só me resta desejar uma rápida recuperação ao espanhol.

Indubitavelmente, o início do campeonato não terá o mesmo brilho, goste você de Alonso ou não.

03/03/15.

Anúncios

5 comentários

  1. Confesso que no começo eu também fiquei um pouco desconfiada da versão oficial. Até porque o gerenciamento de crise de imagem da McLaren foi péssimo. Eles precisam estar mais preparados para esse tipo de coisa. Um “ainda não sabemos exatamente o que aconteceu, mas estamos investigando as possíveis causas do acidente” teria diminuído muito os danos. Obviamente não teria evitado as especulações na era das redes sociais, mas seria melhor do que a afirmação de que foi tudo normal.

    Voltando às causas do acidente, a versão oficial cada vez faz mais sentido para mim. Se a gente imaginar a reunião de um conjunto de fatores:

    – um carro que tem pouca quilometragem e um motor que só pelos vídeos clandestinos dá para perceber que a entrega de potência está longe do ideal;
    – naquele dia, as pessoas que estavam nos tests descreviam por twitter que o carro estava com um comportamento nervoso, diferente de outros dias em que diziam que o carro ia muito bem nas curvas;
    – um erro do piloto ao pisar no astroturf;
    – mais uma rajada de vento.

    Detalhe: lembrando que segundo a BBC (que para mim tem mais credibilidade que a AMuS), o acidente foi a 215Km/h. Isso não é nada devagar como muitos diziam.

    A meu ver parece uma combinação de fatores suficientes para me fazer acreditar que estão dizendo a verdade. Obviamente, eu não tenho nenhum meio de provar isso, assim como não tenho de provar o contrário, e pode ser que daqui há algum tempo alguma novidade apareça. Mas se não aparecer, essa versão me satisfaz.

    Sobre as especulações. Primeiro a do choque. Meus conhecimentos de física se resumem ao que foi necessário para passar no vestibular, então não posso afirmar nada categoricamente, mas o pouco que sei, parece ser muito improvável o piloto levar um choque em quanto se está dentro do carro.
    Sobre a saúde do piloto. Dias antes o próprio Alonso postou uma foto sua dizendo que estava checando a “telemetria” do seu corpo, isso me leva a crer que ele costuma passar por check ups constantes para garantir que esteja na melhor forma possível. Por isso, acho impossível que ele não soubesse caso houvesse algo errado com a sua saúde. E, sabendo que tem algo errado, (aí vai detalhe de fã um pouco stalker que provavelmente a maioria das pessoas não sabem) um dos fisioterapeutas do Alonso é cunhado dele e, por sua vez, a irmã do Alonso é médica. Ou seja, seria impossível ele esconder da família e ainda mais improvável que a família o fosse deixar se arriscar dessa forma.

    Descartando essas duas especulações, a única que eu não consigo argumentar nada contra, é a de falha mecânica. Se surgisse alguma coisa, faria todo sentido também.

    Ia falar um pouco da concussão, mas já escrevi demais. Estava precisando desabafar, às vezes o twitter não é suficiente.

    Abraços,
    Dani

    1. Que é isso, Dani. Fique à vontade para falar o quanto quiser. Tudo o que você falou faz sentido. Comentário muito pertinente! O problema é que não precisávamos discutir isso. Custa tão caro falar a verdade? Merecemos a transparência, não é?
      Volte mais vezes!

  2. Em relação ao mal súbito há quem diga que no dia do acidente ele estava com uma aparência abatida, vi umas fotos e ele parecia estar com “olho fundo”.

    Isso ainda será muito assunto na primeira prova do ano, e na segunda também, pelo seu retorno.

  3. Se ele estivesse com essa aparência ruim, não seria mal súbito. Por foto, também não dá pra afirmar muita coisa. Como disse, tudo seria diferente se as coisas fossem ditas às claras. Obrigado por comentar, Julio. Se for possível, indique o blog a seus amigos!
    Volte sempre.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s