Por que você odeia Fernando Alonso?

Dentre os pilotos do grid atual, sem dúvida, o nome que mais causa indignação aos brasileiros é o de Fernando Alonso. Para quem não é simpatizante do espanhol, as razões são inúmeras. Falam de sua personalidade, caráter e outras características. Quem o crítica, parece ter convivido com o bicampeão por longo período…

Mas até onde estas razões condizem com a realidade?

Antes de analisar o sentimento do brasileiro em relação a Alonso, vale a pena voltar um pouco no tempo para recordar um sentimento parecido que havia em relação a Michael Schumacher. O alemão, último “rival” de Senna, despertava algo bem semelhante e não são poucos que não admiram o heptacampeão pura e simplesmente por este motivo.

Ainda que haja outros até mais justificáveis, ao exemplo das colisões que envolveram Hill e Villeneuve nas temporadas de 94 e 97, respectivamente e as controvérsias existentes na época em que Rubens Barrichello foi seu companheiro, Michael dominou a F1 por cinco anos consecutivos (2000-2004), o que não contribuiu para a sua popularidade neste país.

Eis que, em 2005, aparece um jovem talento capaz de disputar com Schumacher. A essa altura, muitos queriam que qualquer um fosse campeão, desde que a hegemonia germânica chegasse ao fim. Neste ano, Alonso disputou o título diretamente com Raikkonen, mas não sem travar duelos memoráveis com o alemão em algumas corridas (http://tinyurl.com/ltqrea7). Já em 2006, a Ferrari voltou a produzir um monoposto competitivo e então os dois foram os protagonistas desta temporada.

Domínio de Schumacher chega ao fim.

Domínio de Schumacher chega ao fim.

Volte um pouco no tempo, reflita: nas temporadas de 2005 e 2006, você, que hoje repudia Alonso, não chegou a vibrar com a vitória do espanhol? Em caso positivo, o que o fez mudar de opinião?

Embora 2006 tenha sido marcado pela disputa de Alonso e Schumacher, surgia, mais uma vez, a esperança de ver um brasileiro campeão da categoria: Felipe Massa estreava na equipe de Maranello. Apesar de ter sido contratado para exercer o mesmo papel de seu antecessor (2º piloto), Felipe fez uma boa temporada, com direito a sete pódios (dentre eles duas vitórias) e três poles positions. De fato, foi um começo capaz de dar esperança a seus torcedores, principalmente pelo fato de Schumacher ter anunciado sua aposentadoria ao final daquele ano.

É em 2007 que a simpatia pelo espanhol começa a diminuir.

Para o lugar de Schumacher, a Ferrari trouxe Kimi Raikkonen. Apesar da contratação do finlandês, a torcida fechou os olhos para a filosofia da equipe italiana, que historicamente contrata um piloto para disputar o mundial individual e outro para somar pontos para o campeonato de construtores. Em todo o mundo, sabia-se que a Felipe Massa havia sido relegado o papel de coadjuvante. Apesar disso, até o grande prêmio da Itália, salvo melhor juízo, o brasileiro tentou se manter vivo na disputa e acabou terminando o campeonato em um honroso 4º lugar.

Nesta temporada, Alonso e Massa duelaram em algumas ocasiões, sendo que as que mais chamaram a atenção do público foram a disputa na largada do GP de Barcelona e principalmente o “diálogo” que os dois tiveram após o grande prêmio da Europa ocorrido em Nurburgring. Alonso acusou o brasileiro de ter sido desleal ao tocar-lhe quando estava sendo ultrapassado e a discussão foi acalorada:

Imediatamente a isso, algo que nada contribuiu para que Alonso fosse tido como carismático – o que ele não faz questão – foi o episódio do GP da Hungria, ocasião em que estacionou o carro na frente de Hamilton, para que este não realizasse sua volta rápida, pois o inglês havia anteriormente desobedecido à equipe, atrapalhando a estratégia do espanhol.

Já em 2008, Alonso foi o grande favorecido do Cingapuragate, embora nunca tenha admitido sua participação. Naquele Grande Prêmio, por um erro no pit-stop, a mangueira do reabastecimento ficou grudada no carro de Felipe Massa, que liderava a corrida e tinha tudo para vencê-la, mas terminou apenas em 13º, deixando de somar pontos que poderiam assegurar-lhe o título.

Por fim, o período de quatro temporadas, compreendido entre 2010 e 2013, em que Alonso e Massa foram companheiros de equipe, com destaque para a etapa de Hockenheim, marcada pelo Fernando is faster than you!. Nada pior para o torcedor brasileiro do que reviver as memórias da era Schumacher/Barrichello.

Vale ressaltar ainda a ligação que muitos brasileiros têm pela equipe McLaren, relembrando que a primeira passagem do espanhol por lá não deixou boas recordações. Os episódios elencados são tidos como os principais e certamente influenciam na sua pouca simpatia pelo asturiano. Recorde o acontecido na Hungria em 2007 no vídeo abaixo (após, veja qual foi a opinião de Barrichello acerca do ocorrido neste link http://tinyurl.com/qalvwew).

Conseguiu identificar o motivo – quiçá o conjunto – que o fez não gostar do espanhol?

Dentre eles, creio que o principal tenha sido o fato de Alonso ter acabado com qualquer chance de Massa ter tido algum sucesso na F1, apesar de não ter concorrido diretamente com ele na temporada em que o brasileiro teve sua grande oportunidade.

Particularmente, não compartilho da ideia de que o incidente em Cingapura foi a razão pela qual Massa perdeu o título, até porque o pit-stop seria realizado de uma forma ou de outra e a Ferrari estreava naquela corrida o novo sistema que substituía o antigo “pirulito”.

O grande “problema” foi Felipe ter ficado em segundo plano após a chegada do espanhol na Ferrari…

Mas até onde o carisma é importante? Apesar de alguns não o suportarem, Alonso vem sendo considerado o melhor do grid há algum tempo, mesmo não conquistando um campeonato desde 2006, inclusive foi eleito em 2008, 2010 e 2012 como o melhor do ano pelos chefes de equipe. Esse ano, por exemplo, apesar de não ter vencido uma única corrida, perdeu a eleição apenas para Lewis Hamilton, ficando à frente, portanto, de Rosberg, Ricciardo, Bottas, pilotos que fizeram uma grande temporada…

Após deixar a Mclaren no fim de 2007, ter amargado dois anos na Renault, o bicampeão juntou-se à equipe mais tradicional da categoria, permanecendo lá por cinco anos como o piloto mais bem pago. Acha pouco? Depois de tudo que houve em 2007, volta à equipe de Woking com o mesmo status de melhor piloto, inclusive com o maior salário da história da F1.

Importante ressaltar que aqueles que trabalharam diretamente com Alonso – e que, em tese, poderiam até não ter motivos para falar bem do espanhol – o colocam no mais alto nível. Nelsinho Piquet, Montezemolo, Rob Smedley e o próprio Felipe Massa já afirmaram que o espanhol é um piloto mais completo do que Michael Schumacher, sendo que os três últimos tiveram oportunidade de trabalhar com ambos.

Ninguém é obrigado a torcer por Alonso, entretanto deixar de reconhecer seu talento e capacidade de extrair tudo e mais pouco dos péssimos carros que tem pilotado só irá depor contra você, pois não é uma atitude muito inteligente, já que o espanhol mostra, ano após ano dentro das pistas, que você está errado.

Ele é altamente competitivo, péssimo perdedor, diga-se… Mas quem quer ao seu lado alguém que fique satisfeito com a derrota? Caso não se lembre, havia outro piloto que queria vencer a todo custo… O nome dele? Ayrton Senna, referência do espanhol. Há mais semelhanças entre Senna e Alonso do que você imagina.

Como um amigo costumava dizer: se Alonso fosse brasileiro, seria unanimidade.

13/12/14.

Anúncios

22 comentários

  1. ”extrair tudo e mais pouco dos péssimos carros que tem pilotado só irá depor contra você mesmo”
    Que lê em seu texto:”Péssimos carros” percebe o quanto você é parcial, ou seja, torcedor do Alonso. O mesmo, NUNCA teve em péssimos carros. Isso aí é hi Isso de você falar dos ”péssimos carros” é absurdo, pois em 2010 ele tinha um carro muito bom tanto que chegou na última corrida como favorito e perdeu para Vettel.Além disso , você excluiu vários fatos convenientemente para defender o seu piloto preferido.

    ”Como um amigo costumava dizer: se Alonso fosse brasileiro, seria unanimidade”

    Para pessoas que não tem nenhum principio,e caráter, pode ser que sim. Isso não é maioria das pessoas. Você dá a entender no texto que o brasileiro detesta Alonso por ele ter talento e ter tirado as chances de Massa ser campeão. A razão é simples Alonso é um piloto sujo, desleal,hipócrita não tem nenhum princípio é chantagista,etc.

    1. Fala, Rick… Senna admitiu que jogou o carro de propósito em cima de Prost e vetou Warwick como companheiro de equipe. Isso é exemplo de lealdade? Quanto à chantagem, Ron Dennis o quis de volta, não foi? O que dizer disso?
      Obrigado por comentar e volte sempre!!!

      1. O história não foi bem assim. Senna não jogou o carro, ele deu a opção para Prost de não bater e , além disso Prost ofereceu um espaço. O Prost tinha a perder. Entre outras coisas, você ou não é conveniente admitir que história é mais complexa e longa do que ” deixar bater”.O contexto da rivalidade entre Senna e Prost tem todo um ingrediente político envolvido que você não leve em conta. Se ele vetou Warick não foi pio nem mais deslal do que todos escandalos em que Alonso esteve envolvido. Senna correu com Prost e igualdade de condições. Senna disposto a correr com Prost, Mansell ou qualquer outro piloto na Williams. Alonso, fora na Mclarem, Alonso só foi campeão com tratamento VIP, nunca teve que lutar internamente com um companheiro de equipe. Assim, qualquer piloto talentoso se destaca do seu companheiro de equipe. Quais grandes escândalos em Senna esteve envolvidos mesmo? Nenhum, né? Pois é

      2. A rivalidade Alonso e Hamilton também havia política interna. Senna admitiu a Jackie Stewart ter batido de propósito em 90. Jogar o carro em cima de alguém naquela velocidade representa o que? O que eu disse foi justamente isso. Não importa o escândalo… Se Alonso fosse brasileiro, muitos nacionais relevariam.

    2. Vettel e Hamilton são muitos mais respeitados, pelos brasileiros. Hamilton ganhou na disputa do título de 2008 para Massa é muito respeitado e admirado pelos brasileiros. Vettel ganhou o respeito dos brasileiros ao derrotar seu pelo preferido em 2010, quando Alonso estava muito cheio de si e foi humilhado por Vettel e por Petrov.

  2. ALO é um daqueles adoráveis canalhas. Mesmo o odiando, você não tem como não admirá-lo. É desagregador e armador. Mas é um talento raro. O que eu tenho do Dick mesmo é mágoa. Por sua passagem medíocre em Woking. Fui contra sua volta, o tempo todo. Mas a McLaren decidiu reinvestir nele. E eu, diferentemente dele, sou um cara de grupo. Então, abandonei o #chupalonso pelo #gofernando. Mas, tô de olho nele.

  3. Foda demais!! Eu continuo achando que o Alonso é o melhor piloto do Grid, mesmo com a carroça esse ano ele foi muito bem. E depois de Senna acho que ele foi o único piloto “acima da média”.

  4. Geralmente quem odeia o Alonso são, em sua maioria fãs do Vettel. Acho que a dor de cotovelo aumentou depois do péssimo ano que o Vettel fez, já que Alonso dizia que o dia que ele não tivesse mais um super carro, não seria tão bom assim. E como a previsão se concretizou, acho que o ódio aumentou, rs.

  5. Concordo 100%.

    Outra coisa que acho que também contribui muito para o Alonso é o fato dele não se defender. Se a gente parar para pensar, em nenhuma das polêmicas a que ele esteve relacionado nós de fato sabemos a versão dele da história. Algumas declarações aqui e ali, algumas pistas, mas nunca a versão completa, o que ele viu, o que ele sentiu, etc.
    Ele simplesmente não se importa com isso.
    Diferente do Hamilton, por exemplo, que a primeira coisa que faz é usar a imprensa (vide Spa esse ano, repetindo o que já fazia em 2007).

    Não sei se você já viu, aqui tem o texto de um jornalista inglês que vai nessa mesma linha do seu, é bem interessante, vale a leitura: http://www.talkingaboutf1.com/2011/02/why-does-fernando-alonso-get-such-hate.html

    Parabéns pelo texto e pela iniciativa.

    1. Olá, Dani! Não conhecia o texto, nem esse blog, mas realmente temos visões bem parecidas. A percepção dos fatos é praticamente idêntica. Fiquei surpreso, pois até o título é semelhante. Deixei de falar desse papel que a imprensa desempenha justamente para tentar enxugar o texto ao máximo, mas não sem comentar o assunto “fora do ar” com amigos… Concordo também com sua visão. Diferentemente de Hamilton, o espanhol não sabe usar a mídia a seu favor… Muito pelo contrário….
      Espero que volte mais vezes. Aproveite para ler os demais textos e indicar para seus amigos.

      Abraço!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s