FIA: A grande responsável pelo acidente de Bianchi.

Mais uma vez a disputa pela vitória não foi protagonista em um fim de semana de Fórmula 1. Inicialmente houve grande preocupação se a corrida iria ou não acontecer por conta das condições climáticas, depois a notícia de que Vettel iria pra Ferrari ano que vem, por fim o acidente gravíssimo que aconteceu com o piloto da Marussia, Jules Bianchi.

Desde que previram a chegada de um tufão, houve muita discussão sobre a realização da corrida ou da possibilidade de antecipação de seu horário. Até aí tudo bem. Todos estavam torcendo pelo seu acontecimento. Quem acompanha a F1 vive uma eterna ansiedade, mal acaba um grande prêmio, já começa a contagem regressiva para o próximo.

O torcedor, em regra, não se preocupa com a segurança dos pilotos. Normal, não é seu papel, a maioria sequer tem conhecimento para fazer esse tipo de julgamento. Nas redes sociais, várias eram as manifestações querendo corrida no molhado, comparando inclusive as diferentes épocas da F1, sendo que em algumas delas o brasileiro fazia até dança da chuva. O torcedor que ver espetáculo!

Pois bem, caberia à FIA conduzir o evento da forma mais segura possível para os protagonistas do show, entretanto não o fez. O resultado todos sabem: Jules Bianchi encontra-se internado em estado grave, mas estável, após sofrer um gravíssimo acidente.

Bianchi sendo socorrido.

Bianchi sendo socorrido.

Nota-se uma certa preocupação de alguns em tentar aliviar a imagem da federação. Em entrevista, o tricampeão Niki Lauda, por exemplo, pareceu até meio perdido em suas palavras, ao procurar o verdadeiro motivo do ocorrido:

Você não pode dizer que algo foi feito errado. A corrida foi iniciada do modo mais sensato e foi isso que eles fizeram. Mas eles deveriam ter começado mais cedo. Não há dúvida quanto a isso. Era previsível, deveríamos ter começado a corrida às 13:00h. Mas eu não tomo estas decisões. No fim, poderia ter sido melhor“.

Da mesma forma, Jenson Button, que está ameaçado de demissão da Mclaren, também amenizou para o lado da FIA:

Eu acho que a FIA fez um ótimo trabalho para controlar a situação. É muito difícil. Eles estão nos ouvindo o tempo todo. Nós queremos correr, mas queremos fazê-lo de maneira segura. Quando o spray não é muito, você já está quase pronto para colocar os pneus intermediários. Acredito que eles fizeram um ótimo trabalho em controlar a situação, pois não é fácil para eles.”

Como assim não é fácil, Jenson? Como dito acima, a maior parte dos torcedores não está pronto para realizar um julgamento sobre condições seguras de pista. Mas qual a dificuldade que a FIA tem em ordenar a entrada de um Safety Car quando um carro aquaplana anteriormente e há a necessidade de uso de tratores dentro do circuito? Trata-se de uma percepção geral!

A FIA não pode sequer alegar que foi puro azar. Essa é uma tragédia anunciada. Tome-se como exemplo o que aconteceu em Nurburgring em 2007. Naquela ocasião, ainda durante a primeira volta, chovia muito, quando vários carros aquaplanaram no mesmo trecho da pista. Era uma situação flagrante de bandeira vermelha. Quase sobra para o próprio “Safety Car”. Se Liuzzi estivesse um pouco mais rápido, teria sido ele vítima de um acidente muito parecido com o de Bianchi, pois os tratores já se movimentavam no circuito:

No caso do grande prêmio de Suzuka, não existe isso de antecipação de horário ou de tentar colocar a culpa nos organizadores. Não foram esses fatos que determinaram as razões do triste acidente. O dever de dar a última palavra é da FIA. É a entidade que deve se precaver e tomar todas as medidas necessárias para que os pilotos possam correr de forma segura, ainda que isso contrarie torcedores, organizadores e patrocinadores.

Óbvio que foi um acidente! Mas isso não significa que não haja responsáveis. E não adianta procurar outro: a FIA é a grande culpada pela tragédia do fim de semana. Ela simplesmente não tomou as devidas precauções. O momento em que Sutil aquaplanou foi um aviso de que a pista se encontrava mais perigosa do que o normal. Além de não ordenar a entrada do carro de segurança imediatamente, permitiu que tratores operassem dentro do circuito.

Inacreditável!

Talvez a frase que mais defina o sentimento de todos que acompanham a categoria seja a que a Jornalista Jennie Gow, da BBC, divulgou em seu twitter: “Às vezes o esporte que eu mais amo é o que eu mais odeio”.

Agora é torcer pela recuperação do jovem piloto.

#ForzaJules.

06/10/14.

Anúncios

4 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s