Renault afirma que seu motor é bom o bastante para alcançar Mercedes.

A Renault afirma que já tem o necessário para diminuir a vantagem estabelecida pela Mercedes na luta pelo campeonato de 2014, de acordo com matéria veiculada no site inglês Autosport.

O vencedor do GP da Austrália, Nico Rosberg, conseguiu impor uma vantagem de 24s para Daniel Ricciardo, segundo colocado, com sua Red Bull Renault, antes de ser desclassificado por irregularidades no fluxo de combustível.

A RBR se mostrou muito competitiva, se compararmos com os resultados do último teste da pré-temporada e a primeira corrida do ano, porém, na visão de Christian Horner, o motor Renault estava um segundo mais lento que o Mercedes nas retas do circuito de Albert Park.

Remi Taffin, chefe de operações de pista da montadora francesa, aceitou o fato de estarem em uma desvantagem considerável, todavia afirma que o motor é bom o suficiente para reduzi-la, a partir do momento em que as equipes que correm como motor Renault adquiram conhecimento para usá-lo apropriadamente:

“É justo afirmar que estamos atrás dos motores Mercedes, isto é óbvio. É difícil afirmar que é um segundo, mas também não é um décimo. É mais próximo de um segundo do que de um décimo.”

 “Nós sabemos quão distantes estamos da Mercedes e onde devemos melhorar para preencher esta lacuna. No motor que estamos usando, já temos os componentes necessários para conseguir a recuperação, é uma questão de otimização e uso em potência máxima.”

 “Temos que resolver o problema da confiabilidade, o modo em que usamos todos os componentes em conjunto e tentar fazê-los funcionar.”

ricciardo

Nem tão legal assim.

Para Taffin, a Renault aprendeu valorosas lições, graças a Ricciardo e sua Red Bull, bem como aos carros da Toro Rosso, por terem terminado a corrida, apesar da frustração com os dois abandonos da Lotus.

 “É como se tivéssemos feito quatro dias de teste em uma tarde.”

Afirmou também que há um longo caminho a ser percorrido e que alguns carros não terminaram a corrida por problemas ligados ao motor, mas nada que não possa ser resolvido.

Dentre os carros que correm com motor Renault, a Red Bull, como se esperava, foi a que mostrou ter maior potencial. Destaque negativo para a Lotus que vinha de duas boas temporadas e é a equipe que mais tem sofrido com a unidade de potência francesa.

Ficou no ar, porém, uma desconfiança da real capacidade da equipe austríaca, pois, após uma classificação emocionante, ao menos para os torcedores locais, ao ver Daniel Ricciardo disputando a pole position, o australiano foi desclassificado pela irregularidade no fluxo de combustível. A temporada está apenas no início e em Sepang teremos mais repostas.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s